segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Para você.

Não acredito mais em mentiras.





E antes que me esqueça:
(5 minutos pensando)... É melhor esquecer.

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Mais uma vez


Alguma coisa precisa mudar,
Outra vez.
Não sei se em parte ou por inteiro.

domingo, 27 de setembro de 2009

Inteligência?

Gosto de coisas simples, gosto de ser natural, deixo a vida ir e vou com ela. Faço poucos planos, o futuro é um segredo que não se deve ser revelado por suposições. Vivo sereno como as flores. Não gosto dos “inteligentes”. Tenho aversão aos que necessitam mostrar inteligência as cinco da manhã. Na madrugada prefiro ser feliz. Tenho vivido momentos com pessoas insuportavelmente inteligentes. Pensamentos profundos, análises, pontos de vista e opiniões vastas sobre todas as coisas. Isso cansa. Principalmente quando percebo que nessa “inteligência” não mora nenhuma sabedoria.
Desejo ao mundo menos egoísmo e muito mais flores.

Maick Barreto

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Sendo assim!

Na falta do que dizer vou dormir.

sábado, 25 de julho de 2009

Um conselho caso interesse.

Não se enganem com palavras doces e sorrisos bem intencionados
Não se deixem enganar.
Por trás das doces rimas podem existir amargas intenções.
Não se deixem levar.
Quando o coração bate forte e a respiração torna-se ofegante, eis a hora de duvidar.

Sim,
Duvide sempre.
Não se deixem enganar.

E quem sabe um dia, depois da dúvida, seja possível acreditar.
Acredite!
Não se deixe enganar.

Maick Barreto

sexta-feira, 19 de junho de 2009

Entra

Entra...
Pode entrar aqui. Aqui e em outro lugar qualquer que queira entrar! Digo... Pode entrar se por acaso quiser entrar. É! Porque pode ser que não queira e se for assim fique a vontade para não entrar, poderá ficar aí, apenas olhando... Pode ficar apenas olhando. Pode falar também, mas só se tiver algo interessante para falar... Se não for interessante e tiver vontade pode falar mesmo assim... Fique a vontade. O banheiro está limpo, eu limpei ontem e praticamente não usei. Tem alguma coisa na geladeira, não lembro exatamente o que, mas sei que tem... Deve ter, acho que sim. Acho que gostaria de ver como estão as coisas... Tem coisas interessantes por aqui, fotos nas paredes, sei que gosta de fotos, não me lembro direito, mas eu sei que gosta e sei também que tudo isso pode não estar fazendo o menor sentido, mas não faz mal, não mesmo. Hoje é um dia importante, muito importante, eu sei... Reconheço um dia importante assim que o sol aparece no horizonte. Os dias importantes são diferentes dos outros dias. Eles surgem como águias. Acho que não está muito interessado nisso. Sua cara é de quem está achando tudo isso uma bobagem. Grandes bobagens de dias importantes que surgem como águias. É... Essa história de águia surgiu pelo jeito que me olha. Como uma. Não, não precisa desviar o olhar, gosto do jeito que olha, parece forte, é o que parece... Forte. Tem coisas que não são exatamente do jeito que parecem ser, mas nesse caso não tenho certeza. Como saber sobre uma coisa que não se mostra, pode ser como pode não ser, ficamos na dúvida, acho que gosta disso, ficar em dúvida parece ser um grande prazer. Fico em dúvida sobre muitas coisas, sei bem como isso funciona, só não sei ainda se isso me dá algum tipo de prazer, se um dia vir a descobrir eu informo, talvez possa interessar, pode ser que não interesse, enfim... Tem certeza de que não vai entrar? Não se preocupe, não há necessidade de sair nem tão pouco de ficar nervoso. Não, não há necessidade. A única coisa que interessa é a sua presença e com isso já fico muito satisfeito, mesmo que parado, imóvel, isso já me deixa muito feliz. Não me lembro da última vez que lhe vi, mas só o fato de estar frente a frente com você é o suficiente para que eu esteja... satisfeito. É, acho que seja mesmo essa a palavra: Satisfeito. Então... Estou satisfeito com sua imobilidade diante de mim. Isso basta. Não, não se preocupe que não cobrarei de você nada que não seja o que já está fazendo. Eu poderia até mesmo permanecer parado, imóvel, durante o resto da noite, a madrugada inteira, caso seja necessário, apenas para respeitar seu desejo... Seu jeito... Sua forma de demonstrar... (?) O que mesmo você pretende demonstrar? Curioso! Eu mesmo não seria capaz de entender. Mas o que eu sou capaz de entender, não é? Eu sou capaz de entender poucas coisas, e entender as coisas que pretende demonstrar realmente é muito para mim. Estou com sede. É, acho que estou, um pouco de água não seria ruim, como também não seria ruim uma cerveja, refrigerante, suco de alguma fruta tropical ou quem sabe água com gás, eu não gosto de água com gás, mas não vejo problema nenhum em beber, só não gosto, talvez você goste e por isso eu pensei nela como uma forma de matar a sede, mas isso não tem importância, não é? Bem, eu acho que não, o que não significa que não venha a ter importância para você, o que eu digo é que para mim isso não tem importância, mas se quiser poderemos pensar mais sobre o assunto. Quer? A água? Também deve estar com sede. Eu gostaria de matar a minha... sede. Acho que isso não está entre as coisas que pretende demonstrar essa noite. Ou talvez seja uma coisa que não deseje demonstrar em nenhuma das noites... Ou dias. Uma coisa para não demonstrar nunca. Desculpa! Eu tenho dificuldade com essa palavra. Nunca é muito para mim, você deve saber disso... Que bobagem... Isso não é nenhuma novidade para nenhum de nós dois e eu insistindo em falar sobre essas coisas. Me desculpe, eu não tive alternativa. Alternativa! Digo isso como se realmente fosse verdade. Como posso ter a coragem? Acho que vou querer mesmo a água, mesmo se for com gás. Eu sei que conhece o caminho, mesmo assim vou deixar uma jarra aqui, caso venha a querer. Nunca sabemos quando vamos ter sede, não é? É! Pelo menos eu nunca sei, faz bastante tempo desde a última vez que o vi com sede, (que eu tenha percebido). Realmente não posso falar assim, com tanta certeza sobre uma coisa que pertence a uma outra pessoa, não dá para saber. E se quer saber, isso não me interessa, não mais. Já me preocupei o suficiente e agora não quero. Tudo que eu quero é ficar aqui e se quiser continuar ai, não se preocupe isso não me incomoda. Não seria nada ruim, não mesmo. Pode ficar o tempo que quiser, aproveite o tempo. Eu deveria ter aprendido isso, deveria ter aproveitado o tempo, fiquei muito tempo deixando as coisas para outro momento, vivendo a filosofia do depois e o que isso me custou? Custou muita coisa. Então, se é assim que pretende aproveitar o tempo... Seu tempo... Então fique a vontade, esteja a vontade. Viva a vontade com o tempo que lhe pertence. Estou tentando ser dono do meu tempo, não pense que está sendo fácil, isso é muito difícil, não está sendo fácil, não mesmo. Não sei se está gostando de ouvir isso, acho até mesmo que não deve estar, mas o que posso fazer? É isso, isso é a mais pura verdade dos últimos quinze dias. Venho tentando desesperadamente dominar o tempo que me rodeia. Sabe do que estou falando? Tenho a impressão de que sabe. E talvez saiba ainda melhor que eu. Realmente existem muitas coisas que ainda não sei. Gostaria de compreender melhor, mas agora não, não nesse momento. Os últimos dias foram dias diferentes. Muito diferentes, e por isso está sendo muito interessante esse momento, eu realmente precisava disso. Pode acreditar que sim. E porque não? Porque deveria ser diferente? Acho que não me interessa, mas não posso ter certeza de que não me interessaria caso não fosse assim, o que digo é que aceito as coisas como estão mas não vou ser submisso a elas. Parece contraditório, mas não é. Faz muito sentido... Coerente, muito coerente. Talvez esse seja o motivo de sua imobilidade. Talvez estivesse esperando encontrar outra coisa. Que bom que encontrou isso. Isso... O que é isso? Interessante! Bem interessante. O que é isso? O que gostaria que isso fosse? Faço uma pequena idéia mas não vou arriscar, de jeito nenhum, não, não! Não faria isso por nada desse mundo, nem mesmo se me pedisse. E porque que faria isso? Para perder a oportunidade de te olhar assim? E depois poderíamos correr o risco de voltar a falar de assuntos que já não interessam mais, pois é, passado. Não me interessa o passado, agora só o que me interessa é o presente, apenas isso me interessa e se você achar que eu também estou incluindo o futuro está enganado. O presente me basta, não quero viver de futuro. O futuro não leva ninguém a lugar nenhum. Ou estou enganado? Acho que não. Está ficando tarde, pode ficar aí se quiser, como eu já disse: Não tem problema.

Maick Barreto

sexta-feira, 12 de junho de 2009

Vida.

Se si leva a vida
na ponta da faca afiada
a lida se torna pesada
e a alma mau-humorada.
A todo instante o relance
do lado oculto, noturno.
Mas do laço brilhante da sorte
surge a força, oponente da morte.
Conforme for o estado da alma
A lama se torna palha
A palha vira aconchego
Cheiro suave de amor.
Flor do campo
Rosa acanhada
Doce risada... Carinho infantil.
O abraço da vida protege do mal
Guia o caminho
Cultiva o início...
Trilha o final.
Cartas na mesa.
O coringa sumiu!
Fugiu para o sertão,
dança ao batuque dos corações
que apesar de seco... Alegre
depois de só... Sorriso.
mundo maior que o chão sob os pés...
corrida pro chão que é seu.

Maick Barreto

segunda-feira, 27 de abril de 2009

Viver...

Meu Deus! Viver nunca foi tão difícil. Viver é fácil, mas é sobretudo difícil viver. Tomar decisões. Decidir. Viver o decidido. Enfrentar o fato de ter que... Eu não sei mais de nada. Eu sempre achei que sabia das coisas, agora me sinto como sempre me senti, mas dessa vez sem saber das coisas. Eu sou o que sou e não posso deixar de ser para agradar as vontades alheias. Tenho medo de passar a vida sendo um vaso de flores na sala de estar onde eu não esteja. Tenho o direito de ser, no mais amplo grau do que isso possa simbolizar.
Não quero. Não, não quero. Não pela obrigação de ser.
Sou o que sou, e não o que querem que eu seja. Não sou de cristal, nem de ouro, também não sou de lixo. Não tenho que andar sorrindo para agradar, sorrir quando sentir vontade... E por algum motivo que me faça sorrir... Espontâneo. Estou me sentindo sujo? Não sei. Talvez não. Talvez seja só vontade de gritar.

domingo, 5 de abril de 2009


Em mim mora tudo que não quero ser.

quinta-feira, 12 de março de 2009

São Jorge

Chagas abertas, Sagrado Coração todo amor e bondade, o sangue do meu Senhor Jesus Cristo, no corpo meu se derrame hoje e sempre.
Eu andarei vestido e armado, com as armas de São Jorge. Para que meus inimigos tendo pés não me alcancem, tendo mãos não me peguem, tendo olhos não me exerguem e nem pensamentos eles possam ter para me fazerem mal.
Armas de fogo o meu corpo não o alcançarão, facas e lanças se quebrarão sem ao meu corpo chegar, cordas e correntes se arrebentarão sem o meu corpo amarrarem.
Jesus Cristo me proteja e me defenda com o poder de sua Santa e Divina Graça, a Virgem Maria de Nazaré, me cubra com o seu Sagrado e divino manto, me protegendo em todas minhas dores e aflições, e Deus com a sua Divina Misericórdia e grande poder, seja meu defensor, contra as maldades de perseguições dos meus inimigos, e o glorioso São Jorge, em nome de Deus, em nome de Maria de Nazaré, e em nome da falange do Divino Espírito Santo, me estenda o seu escudo e as suas poderosas anulas, defendendo-me com a sua força e com a sua grandeza, do poder dos meus inimigos carnais e espirituais e de todas sua más influências, e que debaixo das patas de seu fiel ginete, meus inimigos fiquem humildes e submissos a vós, sem se atreverema ter um olhar sequer que me possa prejudicar.
Assim seja com o poder de Deus e de Jesus e da falange do Divino Espírito Santo.

terça-feira, 10 de março de 2009

E se?


Fosse assim, num passe de mágica e plim! Pilim pim pim.
E se fosse assim, num mundo mágico e sim.
E se fosse...
Se fosse assim.

terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

???

Hoje eu quero ser criança e brincar de imaginar. Hoje eu quero ser e não ser. Eu quero o faz de conta de contar o que me faz e sem pensar nem sequer aonde chegar, levar aos sons dos pensamentos o mais puro imaginar. Imaginoscencia. Imaginograma, imaginotelas, imaginosonhos.
Hoje de quem ser não mais de sou, de quem ser não mais se é e de tudo que se sente se refaz em tudo ser, pois o ser é mais que ter e quem tem se sente em vão. Pois que pois que posição, pois daqui de lá de trás ou daqui de lá da frente, pois, porque não diferente? Pois porque ser sempre igual? Pois por perto está o longe e pro longe o perto vai. E o que mais certo há que o pensar do pensamento, mas distante que o vento, mais maior que a certeza de tão sério e perigoso. Pois perigo também há na tarefa de pensar... Pois se ser se sabe bem e o ter já de ter tanto o coração já cansa um tanto de tanto se cansar, a imagem imaginada pode frutos desfrutar e o tempo amarelar aos olhos de um olhar que mais quer se aproveitar das cores turvas, nebulosas de quem cansa de sonhar. O sonhar é perigoso? O SONHAR É PODEROSO.
Pois do sonho o sonho cuida e é nele onde se inunda a certeza de não ser por poder ser mais que um. Pois o sonho é poderoso e galopa alado em asas de morcegos ou de fadas dos dragões mais perigosos ou de naves do espaço lá no tempo dilatado do futuro ou do passado, o presente é recontado, outros olhos observam e transformam o real em mais pura fantasia, e da noite para o dia o desconhecido conhecido está. Está por baixo da cama, por cima do telhado, a frente das minhas costas, por detrás das minhas faces.
O SONHAR É PODEROSO.
Sonhar de sonho se alimenta, sonhar de barriga vazia, de olhos molhados, pois do olhar emocionado o sonhar brota dos poros.
Sonhar não é matéria que faça perder de ano, mas o ano sem sonhar custa muito pra passar. Pois vou continuar a sonhar e ser sonhado pois quem sou também é sonho, já não sou realidade, o ser que é em mim já é mais que fantasia. Pois quem olha ver o que quer e quem quer acaba por conseguir.

Continuo...
Maick Barreto

domingo, 18 de janeiro de 2009

Egoismo?

Estou com saudades da minha casa, da minha paz quase solitária, saudade de minha quietude organizada. Do silêncio, brisa que atravessa minha janela de vidro. Saudade do zumbido que o silêncio traz. Quero estar com minha mente tranqüila, não tenho motivos para não estar. Os fantasmas que projetam sombras vivem na imaginação. Nem todos... Alguns são reais. Não tenho talento para definir sentimentos, sou extremamente incompetente para isso, sim, sei apenas sentir e muitas vezes me incomodar com eles, alguns são verdadeiras unhas encravadas. Em outros momentos já senti coisas parecidas. E hoje volto ser invadido por esse sentimento: uma onda de emoções que me levam a ser egoísta. Se ser egoísta significar ser feliz, então assim serei. Por mais que me importe não me importarei com sentimentos alheios ao meu coração. Sou responsável pelos meus e já não dou conta deles. Cada um que se responsabilize por si. Não tenho culpa dos fatos, sou tão vítima deles como qualquer um. Quero apenas voltar para casa, só, ao lado de quem me faça feliz.
Maick Barreto